NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
CIDADES
Quarta-feira, 07 de Abril de 2021, 00h:00

SINDICÂNCIA

CRM-MT apura denúncia feita por enfermeira contra hospital particular

Da Reportagem

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) instaurou sindicância para apurar denúncia feita pela técnica de enfermagem Amanda Benício contra o Hospital São Judas Tadeu, em Cuiabá, sobre suposta negligência que teria resultado na morte de pacientes com coronavírus, entre eles, o major PM Thiago Martins, 34 anos, no último domingo (04).

Segundo o CRM, a denunciante até o momento não registrou a denúncia junto à entidade, mas independente disto, a corregedoria do CRM-MT foi acionada com base nas notícias veiculadas na imprensa para apurar a denúncia “ex ofício”. Ou seja, o próprio Conselho instaura a sindicância baseada em matérias jornalísticas. “O CRM-MT vai se reportar às pessoas envolvidas no fato, solicitando informações pertinentes ao atendimento do referido paciente, sempre buscando a verdade dos fatos e oportunizando a ampla defesa e o contraditório nesse atendimento”, diz o ofício.

De acordo com a presidente do Conselho, Lúcia Helena Barboza Sampaio, a referida sindicância vai tramitar dentro do sigilo que é exigido pela lei. No processo, o CRM-MT vai se reportar às pessoas envolvidas no fato, solicitando informações pertinentes ao atendimento do referido paciente, “sempre buscando a verdade dos fatos e oportunizando a ampla defesa e o contraditório nesse atendimento”.

O Comando Geral da Polícia Militar também informou que encaminharia ao próprio CRM e ao Ministério Público Estadual (MPE) uma solicitação de apuração na esfera administrativa e criminal, respectivamente, da denúncia de possível negligência sofrida pelo major Thiago. No mesmo ofício, o Comando Geral solicita aos órgãos oficiados acima que lhe seja oportunizado o acompanhamento e/ou atualizada sobre tais apurações.

Por meio de nota, a direção do hospital negou veementemente todas as denúncias que envolvem condutas supostamente promovidas em desfavor da saúde dos pacientes. “As acusações espúrias foram proferidas por uma funcionária que trabalhou 50 dias na instituição, e foi demitida na semana passada justamente por práticas dissonantes com as exigidas pelo hospital e, por isso, utiliza-se dessa pauta com cunho de promover retaliação e vingança”.

Diante da gravidade, o hospital garantiu que está empenhado na adoção das medidas cíveis e criminais cabíveis em face da profissional. “De qualquer forma, reforçamos que o Hospital São Judas Tadeu é uma instituição séria e respeitada, com histórico de excelência em serviços prestados à população cuiabana há mais de 35 anos. Sempre atuamos com profissionais sérios e comprometidos com a ética e o bem-estar dos pacientes e assim permaneceremos nossa caminhada”.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você aprova a descentralização da vacinação contra a Covid?
Sim. Já passou da hora
Não. Era melhor só no Centro de Eventos
Ainda está a desejar
O certo é utilizar todos os postos de Saúde
PARCIAL