CAMPEONATO BRASILEIRO

Ufa! Corinthians vence o Flamengo depois de um jejum de 534 minutos

A equipe não marcava há cinco jogos e a vitória mantém o time na luta contra o rebaixamento.

ARTHUR DE ALMEIDA
Da Agência Estado - São Paulo

O Corinthians voltou a vencer. Foi um mês de agonia, jejum de gols e cinco derrotas consecutivas - isso acabou na noite de ontem, no Morumbi, contra o Flamengo. Depois de 534 minutos sem marcar, o Corinthians fez seu gol - o primeiro de Edílson desde que foi contratado -, derrotou o adversário por 1 a 0 e passa a 26 pontos ganhos. O campeão paulista se salvará do rebaixamento no Campeonato Brasileiro se, na última rodada, sábado, passar pelo Goiás, em Goiânia. Caso empate ou perca, dependerá de outros resultados. Ontem, o time comemorou o resultado como se fosse classificado para uma semifinal: "Com o time que tem, não vai ser rebaixado", garantiu o técnico Candinho, após o jogo. O resultado rebaixou matematicamente o Fluminense.
Antes, o nervosismo corintiano já nos primeiros minutos se refletiu no alto índice de passes errados no meio-de-campo. Nenhuma responsabilidade do técnico Candinho, na verdade. Pôde-se observar que orientou o time para marcar sob pressão, exigiu da equipe a posse de bola o maior tempo possível. Mas como fazer com que seus jogadores controlassem os nervos e, na hora da definição, da última bola, acertassem o alvo?
Pior para o Corinthians foi o fato de, à sua frente, não ter um adversário tão desesperado quanto ele. Classificado para a próxima etapa da competição, o Flamengo era um franco atirador, tão tranqüilo que se deu ao luxo de poupar alguns titulares. O que extraísse do Morumbi seria lucro. O Fluminense pagou o pato.
Com essa postura, aos 19 minutos, o time carioca criou o primeiro bom momento de abrir o marcador. Athirson apoiou pela esquerda e cruzou para a área. Defesa em pânico, Sávio saltou sozinho, mas cabeceou a bola à direita do goleiro Ronaldo. A despeito do susto, os corintianos continuaram tentando o ataque desordenadamente, ao mesmo tempo em que ofereciam o contra-ataque ao adversário pouco interessado no jogo. A incompetência de marcar gols dos jogos anteriores repetiu-se no primeiro tempo. Aos 21 minutos, Donizete recebeu passe de Fernando Diniz - o titular Souza não foi liberado pelos médicos em razão das dores no púbis - e chutou de longe. A bola desviou nos zagueiros e saiu a escanteio; pouco depois, Mirandinha teve uma boa chance, mas preferiu o corte no zagueiro ao chute de primeira. Ao levar a bola para o pé esquerdo, perdeu a potência e o chute foi para a linha de fundo.
Se o meia corintiano Edílson já não conseguia alimentar seu ataque com eficiência, quase comprometeu o time ao perder a bola no meio-de-campo. Dali, Jorginho foi lançado, defesa aberta - Ronaldo fez sua primeira defesa importante no clássico, no chute a queima-roupa.
No segundo tempo, outra vez, o goleiro corintiano salvou a equipe. Agora, em lances de laterias. Fábio Baiano cruzou da direita e Athirzon cabeceou forte. Ronaldo pegou com dificuldade. Daí para a frente, pressão corintiana e exposição total a contragolpes. Primeiro, Gilmar arriscou um chute de longa distância - bola tocou de leve na parte externa da trave direita do goleiro e saiu pela linha de fundo.
Poderia ser um lance animador. Tanto que Mirandinha também tentou num chute cruzado que teve igual destino do lance anterior. Mas o Corinthians também levou um susto. Quando pressionava, levou uma bola no travessão, num cruzamento de Rodrigo.
O desespero alvinegro atingiu o banco de reservas. Tanto que Candinho trocou o inoperante Fernando Diniz por Tiba, há mais de ano inativo. E não é que deu certo! A movimentação de Tiba complicou a marcação carioca e, aos 34 minutos, aconteceu o gol que o corintiano não comemorava há tanto tempo.
Bola cruzada da esquerda, Júnior Baiano desviou de calcanhar e o rebote caiu no pé de Edílson, que apanhou e chutou rasteiro, forte, à direita do goleiro. Clemer ainda tocou na bola, mas não pôde impedir que ela chegasse à rede e desse ao Corinthians o 26º ponto. Fim do jogo, todos que estavam no banco de reservas corintiano se abraçaram. Parecia conquista de título. A torcida na arquibancada teve a mesma reação. Agora, falta pouco para o Corinthians ficar assistindo aos oito classificados disputar o título e ainda assim sentir-se vitorioso.
CORINTHIANS - 1
Ronaldo; Rodrigo, Antônio Carlos, Célio Silva e Silvinho; Gilmar, Rincón, Edílson e Fernando Diniz (Tiba, aos 15 do 2.o); Donizete (Romeu, aos 39 do 2º) e Mirandinha. Técnico - Candinho.
FLAMENGO - 0
Clemer; Fábio Baiano (Eduardo, aos 32 do 2.o), Júnior Baiano, Luís Alberto e Juan; Jorginho, Piekarski, Athirson (Leonardo, aos 10 do 2.o tempo) e Iranildo; Sávio (Rodrigo, aos 22 do 2.o) e Lê. Técnico - Paulo Autuori.
Gol - Edílson, aos 34 minutos do segundo tempo.
Juiz -- Carlos Eugênio Simon (RS).
Cartão vermelho -- Iranildo (aos 41 do 2.o)
Cartão amarelo -- Athirson, Rodrigo, Gilmar, Antônio Carlos, Sávio (3º), Tiba.
Renda - R$ 122.230,00.
Público - 12.733 pagantes.
Local -- Morumbi.


Guarani passa pelo lanterna

INÁCIO CRESSONI
Da Agência Estado - Araras, SP

Com um gol de Edinho Goiano, marcado nos descontos, aos 46 minutos da segunda etapa, o Guarani venceu o União por 1 a 0, ontem à noite, em Araras e ainda mantém esperanças de continuar no grupo de elite do Campeonato Brasileiro. O time bugrino entrou em campo com disposição, buscando a vitória desde o início. Encontrou pela frente um adversário fechado, que pretendia explorar os contra ataques para alcançar um resultado positivo.
Na segunda etapa o Guarani dominou por completo seu adversário. Criou inúmeras chances mas só marcou o gol salvador já no desespero, com Edinho Goiano escorando de cabeça um cruzamento da direita.
UNIÃO - 0
Adnan; Ivonaldo, Augusto, Toninho e Léo; Odair (Tárcio, aos 18 do 2º), Leonardo, Ricardo Lima e Róbson; Lizandro e Helbert (Márcio Neri, aos 32 do 2º). Técnico: Geninho.
GUARANI - 1
Gleger; Ferreira, Sorlei, Júlio César (Luciano Baiano, aos 28 do 2º) e Rubens (Marcão, aos 14 do 2º); Edinho Goiano, Vaguinho, Paulo isidoro e Giancarlo (Moreno, aos 28 do 2º); Dinei e Samuel. Técnico: Oswaldo Alvarez (Vadão).
Gol: Edinho Goiano, aos 46 do segundo tempo.
Juiz: Márcio Rezende de Freitas
Cartão Amarelo: Júlio César, Giancarlo e Ivonaldo
Cartão Vermelho: Ivonaldo (32/2º)
Renda: R$ 6.620,00 Público: 912 pagantes
Local: Estádio Erminio Ometto, em Araras.


Flávio garante a importante vitória do Juventude no Sul

Da Agência Estado - Caxias do Sul, RS

Em jogo dramático, o Juventude venceu por 2 a 1 o Bragantino, ontem à noite, e manteve as chances de classificação para a segunda fase do Campeonato Brasileiro. Já o Bragantino teve sua a situação complicada na tabela e ainda corre risco de rebaixamento. A vitória do time gaúcho aconteceu apenas aos 47 minutos do segundo tempo com um gol do volante Flávio. Melhor posicionado, o Bragantino quase surpreendeu o Juventude no início da partida. Aos 12 minutos, Sandro Pires ganhou de Índio e tocou para Ronaldo Alfredo na entrada da área. O meia do Bragantino, de boa movimentação na primeira etapa, chutou do lado esquerdo do poste de Márcio. Em seguida, Édson Baiano exigiu uma defesa em dois tempos de Márcio após chute de fora da área. Mas o time gaúcho acertou a marcação e equilibrou o jogo. Aos 14 minutos, Adriano chutou em cima do goleiro Alex. Na pressão, aos 20 minutos, Maurílio fez boa jogada pela direita e cruzou para a área. De calcanhar, o zagueiro Gino tentou antecipar a bola que chegava em Adriano e tocou para o gol enganando Alex.
Na segunda etapa o Juventude continuou melhor e só não marcou, através de Maurilio, aos 19 minutos, porque o zagueiro Pedro Luís salvou em cima da linha de gol. Um minuto depois o Bragantino respondeu em uma jogada pela direita. O sistema defensivo do Juventude falhou e Nando, que substituia Sandro no ataque, completou para o gol. Depois do empate da equipe paulista o time gaucho voltou a pressionar. Foram 14 escanteios e duas bolas na trave do gol de Alex. Aos 39 Alexandre Paulista perdeu um gol cara a cara com o goleiro com o Bragantino. Aos 47, Jorge Antonio cobrou escanteio, Índio tocou para a pequena área e Flávio cabeceou para o gol vazio. Era o gol da vitória.
JUVENTUDE
Márcio; Jorge Antonio, Indio, Baggio e Édson; Lauro (Jean, aos 36 do 2º), Flávio, Sandro (Alexandre Paulista, aos 25 do 2º) e Wallace; Maurílio e Adriano (Alexandre Gaúcho, no intervalo). Técnico: Gílson Nunes
BRAGANTINO - 1
Alex; Ayupe, Pedro Luis, Gino e Pereira; Charles, Édson Baiano, Geraldo e Ronaldo Alfredo; Paulinho (Genílson, aos 42 do 2º) e Sandro Pires (Nando, no intervalo). Técnico: Cassiá
Gols: Gino (contra), aos 20 minutos do primeiro tempo. Nando, aos 20 minutos e Flavio, aos 47 minutos, no 2º tempo.
Juiz: Sidrak Marinho (SE)
Renda e público: Não divulgados
Cartão Amarelo: Geraldo, Pedro Luis, Pereira, Alexandre Paulista, Nando, Édson Baiano e Flavio.
Local: Estádio Alfredo Jaconi, ontem à noite


Palmeiras deve fazer parte do grupo B

Scolari já faz planos para a próxima fase e prevê que sua equipe terá de disputar a
vaga para a decisão fora de São Paulo.

DINOEL MARCOS DE ABREU
Da Agência Estado - São Paulo

O Palmeiras começa a fazer planos para a segunda fase do Campeonato Brasileiro. Pelos cálculos do técnico Luiz Felipe Scolari, o seu time fará parte do Grupo B juntamente com Internacional, Atlético-MG e Santos. Ainda segundo o treinador, nas primeiras três rodadas, o alviverde deverá jogar duas vezes em casa. Assim, na opinião de Scolari, o segundo turno do quadrangular poderá ser mais difícil para o Palmeiras, que disputará a maioria dos jogos no campo dos adversários. "Não temos escolha", conforma-se o treinador. "Como não classificamos nas primeiras colocações, o privilégio de terminar a próxima fase em casa será de outras equipes.
Na sua avaliação, o Palmeiras, faltando apenas uma rodada para terminar a primeira fase, ganhou 70% dos jogos disputados em casa, alcançando o plano elaborado pela comissão técnica no início da competição. A diferença, segundo Scolari, foi nas partidas fora de casa. Pelas projeções, o time deveria ganhar 50% dos jogos realizado no campos do adversários. "Mas ficamos entre 40 e 35%, que influíram na classificação geral", admitiu.
Para a próxima fase, Scolari chegou à conclusão que o Palmeiras terá de conquistar 70% dos pontos que estarão em disputas no seu respectivo grupo. Na sua opinião, dos 16 pontos, a equipe terá de somar 12 ou 13 nos dois turnos do quadrangular. Se o seu time não obtiver esse índice, dificilmente terá condição de disputar o título com o finalista do Grupo A, que também disputará um quadrangular.
O Palmeiras encerra sua participação na primeira fase do Brasileiro contra o Sport, domingo, no Recife. Para o time paulista será uma partida apenas para cumprir tabela, considerando que o adversário não tem mais chances de classificação. Assim, Scolari vai definir amanhã os jogadores que deverão participar da partida. Sua intenção é levar um time misto, com alguns titulares e muitos reservas. Sem poder contar com Galeano e Zinho, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, além de Oseas, que se recupera de um estiramento muscular, o treinador deverá ainda poupar alguns jogadores que estão "pendurados" com dois cartões amarelos, como são os casos de Pimentel, Roque Júnior e Rogério. Como o Palmeiras não tem certeza se o departamento técnico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai limpar os cartões dos oito times classificados, Scolari não quer correr o risco de perder jogadores por suspensão na primeira rodada da segunda fase.
Viola estava nessa situação. O atacante, no relatório da comissão técnica estava pendurado com dois cartões amarelos, por isso ele não deveria enfrentar o Sport. Ele poderia ser suspenso pelo terceiro cartão amarelo e considerando que Oseas está machucado, o técnico estaria ameaçado de perder os dois atacantes na estréia da próxima fase. Mas ontem a secretaria do futebol do Palmeiras informou ao treinador que Viola tem apenas um cartão amarelo. "Estamos tirando a dúvida com a CBF e se o jogador realmente não estiver "pendurado" poderá enfrentar o Sport.
O meia Alex poderá jogar domingo. Ele levou uma pancada no lado direito do quadril contra o Goiás, domingo, mas ontem voltou aos treinos. O jogador disse que não se empolga com o possível interesse do clube francês, Paris Saint-Germain, em contratá-lo. "Estou há apenas três meses no Palmeiras e acho que não é o momento de sair."


Eurico Miranda critica atitude de Zagalo

RENATO LAMEIRO
Da Agência Estado - Rio

Um dia depois de ter barrado o atacante Edmundo para o amistoso contra o País de Gales, dia 11, em Brasília, o técnico Zagallo voltou a comentar sua decisão, na sede da CBF, no Rio. Ele disse que o jogador deveria procurar não um psicólogo, mas sim um psicanalista, porque, segundo ele, Edmundo se encontra em um grau mais delicado. "O Vasco tem que procurar tratá-lo para curá-lo. Só assim ele vai se curar", disse Zagallo.
Perguntado sobre a reação das pessoas na rua, o técnico da seleção disse que tem recebido várias manifestações de apoio. "O futebol envolve paixão e razão. O torcedor funciona com a paixão, mas eu tenho que trabalhar com a razão", respondeu. Apesar disso, na rua, o técnico afirma que as pessoas falam que a atitude inconveniente do jogador deveria ser repreendida. Ele aproveitou para mandar mais um recado para Edmundo: "Daqui para frente, ele tem que se consertar."
A diretoria do Vasco criticou a decisão de Zagallo de não chamar Edmundo. O deputado federal e vice-presidente de futebol do clube, Eurico Miranda, chamou o técnico de "burro". O presidente Antônio Soares Calçada acredita que Zagallo quis ajudar a oposição do Vasco _ as eleições serão no dia 14. "Quem precisa de análise é Zagallo, e não Edmundo", disse Calçada. Miranda afirmou que quem foi punido não foi o Edmundo, foi a seleção. "O Zagallo perdeu a noção das coisas."
De acordo com Miranda, quando não convoca um grande jogador, como Edmundo, Zagallo pode estar servindo a outros interesses, para desestabilizar o time do Vasco. "Essa história de punir o Edmundo é história de boi tatá", reagiu, acrescentando que o Vasco é o melhor time, tem mais de 75% de aproveitamento no Campeonato, um fato inédito, e "ninguém vai conseguir desestabilizar o time". O dirigente confirmou que o clube não vai ceder seus jogadores para o amistoso contra a África do Sul, em Johannesburgo, e para os jogos pelo Torneio da Arábia, em dezembro, porque estará envolvido nas finais do Brasileiro.
Zagallo respondeu de maneira diplomática às suposições de Eurico. "É, eu conheço esse dirigente. Ele é que não me conhece bem." Em relação à atitude de Edmundo no jogo de terça-feira, contra o Atlético Mineiro, quando, tentando receber o terceiro cartão amarelo, o atacante usou de violência em algumas jogadas, Zagallo falou que ao provocar o cartão amarelo, ele merecia o vermelho, mas que o juiz "amarelou".
Ontem, Edmundo estava de folga por ter jogado na terça-feira. Segundo um amigo, ele tirou o dia para resolver problemas pessoais. A entrevista coletiva que ele daria não aconteceu. O atacante, suspenso, vai desfalcar a equipe na partida contra o Guarani, sábado, em Campinas. Outro desfalque da equipe será Luisinho, também suspenso.


Lusa espera a chegada do novo técnico

Da Agência Estado - São Paulo

Os dirigentes da Portuguesa pretendem anunciar hoje Carlos Alberto Silva como novo técnico do time. O treinador, que deve chegar da Espanha pela manhã, tem uma reunião marcada para acertar detalhes finais. Em seguida, se fechado o negócio, Silva será oficialmente apresentado. "Não devemos ter problema para o acerto", acredita o diretor de futebol, Camões Salazar. O técnico não deverá comandar o time contra o Botafogo, sábado à noite, no Maracanã, mas prometeu viajar até o Rio para assistir ao jogo.
A demora na negociação (o técnico deveria ter chegado na terça-feira) dividiu as expectativas dos dirigentes. Se Salazar foi favorável em esperar a vinda de Silva, o vice-presidente de futebol, Ilídio Lico, não escondia seu aborrecimento. "Já não sei mais quando ele vem", disse o dirigente. "A cada dia, Carlos Alberto marcava uma nova data para vir negociar." Segundo o dirigente, o time esperou demais para resolver o substituto de Edinho.
O motivo do atraso foram os problemas enfrentados pelo treinador em acertar a rescisão de seu contrato com o Deportivo La Coruna. Pela lei espanhola, para se transferir para outro clube, Carlos Alberto precisa de uma liberação de seu ex-clube. Como o presidente do La Coruna, Augusto Cesar Lendoiro, não quis entrar em acordo, o técnico brasileiro entrou na justiça espanhola com uma ação de descumprimento de contrato. "Mas ele nos garantiu que o problema só o proibe de atuar no futebol da Espanha, tendo a liberação para o resto do mundo", disse Calazar.
O valor da indenização chega a US$ 540 mil e inclui salários até o final do contrato (maio de 1998) e direito de imagem. Em entrevista às agências internacionais, Silva, que contratou um advogado espanhol, acusou Lendoiro de também ter enganado o atacante Bebeto, com promessas que depois não seriam cumpridas. "Fui demitido devido a problemas políticos, pois logo haverá eleições na cidade", disse.
O meia paraguaio Struway esteve ontem de manhã no Canindé. Sua intenção era explicar aos dirigentes os motivos que o levaram a atirar no chão a camisa do time, domingo, contra o Criciúma. Struway não assinou a rescisão de seu contrato, mas os dirigentes não pretendem perdoá-lo, demitindo-o por justa causa. Os jogadores da Portuguesa voltam hoje à noite de Jacutinga, sul de Minas Gerais, onde estão concentrados desde terça-feira.


Técnicos querem reduzir o prazo mínimo de contrato

SEBASTIÃO REIS
Da Agência Estado - Rio

A Associação Brasileira de Treinadores de Futebol (ABTF) vai propor a redução do período mínimo de contrato de trabalho dos técnicos com os clubes profissionais de seis para três meses. A reivindicação faz parte do documento que será apresentado ao ministro Extraordinário dos Esportes, Édson Arantes do Nascimento, Pelé, e aos líderes de bancadas, em Brasília, como sugestão ao projeto de lei que propõe a reformulação no esporte brasileiro.
De acordo com a Associação, a concessão é uma forma de acabar com os contratos verbais e garantir os direitos trabalhistas dos treinadores. O texto será entregue antes aos técnicos e preparadores físicos, em reunião convocada para o dia 17, na sede da Federação de Futebol do Estado Rio de Janeiro (Ferj). A ABTF quer tornar a Lei Pelé "mais abrangente", por considerar que o projeto não atende aos interesses da categoria.
"A Lei trata mais da situação dos jogadores", disse José Lima Ribeiro, do Conselho Fiscal da ABTF e candidato a vice-presidente na chapa da situação, encabeçada pelo atual presidente, o ex-jogador Orlando Peçanha. O candidato da oposição é o supervisor da seleção brasileira, Américo Faria, e o vice, o ex-técnico da seleção Sebastião Lazaroni. As eleições serão na segunda semana de dezembro.
De acordo com o documento, a ABTF apóia as propostas de Pelé, mas reivindica a defesa dos interesses dos treinadores no projeto de lei. A entidade pleiteia, entre outras coisas, um contrato padrão para os treinadores de futebol; a criação de um quadro nacional de treinadores e a assinatura de contrato por um prazo mínimo de três meses, com todas as garantias.
A ABTF afirma em seu documento que a Lei 8.650, de 1993, que regulamenta a profissão, não está sendo cumprida. "O texto diz que os contratos devem ser assinados por seis meses, mas nós queremos menos, por três meses, desde que todos cumpram", afirmou José Lima Ribeiro. "O nosso problema é a segurança, não o tempo."


Artigo 3º prejudica a categoria

Da Agência Estado - Rio

O texto do artigo 3º da lei é considerado prejudicial à categoria, por determinar que as entidades contratem "preferencialmente" treinadores. A ABTF propõe a substituição da palavra por "exclusivamente". "Temos perdidos muitas causas na Justiça por causa disso", observa Ribeiro. "O juiz diz que essa palavra descaracteriza tudo e não oferece nenhuma garantia aos treinadores."
Entre as ações perdidas pela ABTF nos tribunais estão as contra o ex-jogador Júnior e o radialista Washington Rodrigues, ex-técnicos do Flamengo, e o ator Nuno Leal Maia, que se aventurou como dublê de treinador no São Cristóvão. A Associação dos Treinadores já pediu a revisão da Lei no Congresso, mas acredita que o melhor meio é recorrer à Lei Pelé.
A ABTF tem mais de mil associados, dos quais cerca de seiscentos inadimplentes. A entidade cobra uma anuidade de R$ 60,00. Os maiores devedores são os técnicos consagrados, que raramente aparecem na sede, no centro do Rio. "O Wanderley Luxemburgo é um dos que nunca aparecem aqui", criticou Ribeiro. Segundo ele, a maior crítica dos técnicos é que os clubes não querem fazer contrato por escrito.


Teixeira não aceita interferência na CBF

Da Agência Estado - Rio

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, disse ontem que não concorda com a interferência direta do Ministério Público Federal na entidade que dirige, como propõe a Lei Pelé. "Se vai interferir na CBF, que é uma entidade privada, então deve interferir também na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo", afirmou.
Teixeira não vê em sua posição nenhum sinal de medo contra uma possível investigação das contas da CBF. Ele acredita que foi mal interpretado ao falar sobre o assunto, terça-feira, na comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto de lei que propõe a reformulação do esporte brasileiro. "O que eu disse lá é que o Ministério Público trata da parte judicial e tem toda a liberdade para investigar qualquer indício de irregularidade", afirmou. "Só não pode é mandar na CBF."
O dirigente destacou que o Ministério Público está investigando a vida do ex-presidente da extinta Comissão Nacional de Arbitragem de Futebol (Conaf), Ivens Mendes, a partir da denúncia de que o dirigente comandava um esquema de manipulação de resultados no futebol brasileiro. Segundo ele, esse procedimento é normal e deve ser incentivado.
O argumento do relator do projeto, deputado Toni Gel (PFL-PE), de que a CBF, ao receber isenção do Imposto de Renda está indiretamente deixando de recolher dinheiro aos cofres públicos, teria lógica, segundo Ricardo Teixeira, se a entidade desse lucro. "O que a gente recebe, a gente gasta", garantiu.
Teixeira afirmou que é favorável à Lei do Passe, mas com proteção aos clubes que investirem na formação do atleta nas divisões de base. Ele acha que devem estabelecer também uma indenização quando o jogador for para o exterior. Sobre a transformação dos clubes em empresa, disse que só é contra a obrigatoriedade. Ele condenou o dispositivo que obriga os clubes a pedir licença do Indesp para viajar ao exterior. "Acho isso ridículo", afirmou.


TÊNIS

Guga perde em Moscou e fica de fora da Copa do Mundo de Hannover

O tenista brasileiro voltou a decepcionar ao perder para checo Daniel Vacek.

CHIQUINHO LEITE MOREIRA
Da Agência Estado - Moscou, Rússia

Gustavo Kuerten disse adeus à Copa do Mundo de Hannover. Com a derrota para o checo Daniel Vacek por 6/2 e 6/4, ontem, na segunda rodada do torneio Kremlin Cup, em Moscou, o sonho de terminar a temporada entre os oito melhores do mundo acabou. O brasileiro não tem mais nenhuma chance de classificação, nem mesmo contando com a derrota de outros jogadores.
O fim das chances de Gustavo Kuerten de ir para Hannover e colocar terno e gravata _ tradição entre os tenistas classificados para o mundial _, num ritual que o brasileiro gostaria de cumprir, acabou beneficiando Carlos Moya. Mesmo eliminado do ATP de Estocolmo, o espanhol já está com a sexta vaga garantida. Os outros classificados são Pete Sampras, Michael Chang, Patrick Rafter, Jonas Bjorkman e Greg Rusedski. Restam dois lugares para ser definidos entre Sergi Bruguera, Thomas Muster, Marcelo Rios e até mesmo Yevgeny Kafelnikov.
RAZÕES _ Guga perdeu todas as chances de ir para Hannover, pois, entre os seus 14 melhores resultados da temporada, o pior deles é 39 pontos. Em Moscou, o brasileiro só acumulou 31, portanto, esta pontuação não é computada, o que vai manter Kuerten com os mesmos 2.261 pontos da semana passada.
Apesar da frustração pela derrota, o técnico de Guga, Larri Passos está seguro de que a disputa de torneios em quadras de carpete era a melhor opção para o jogador. Para Larri, o mais importante é fazer com que Kuerten aprenda a jogar em todas as superfícies e, assim, a vaga para Hannover seria apenas uma conseqüência.
Embora também decepcionado, Gustavo Kuerten parece ter assimilado bem o golpe. Após a derrota, preferiu ficar no clube para conversar com os outros tenistas e começar seu período de férias. Como programa para hoje, ele jurou que colocará as raquetes na sacola e sairá para passear. Quer conhecer os principais pontos de Moscou e, se conseguir lugar em algum vôo, voltar para Brasil.


Kuerten já pensa no Aberto da Austrália

Da Agência Estado - Moscou, Rússia

A despedida dos torneios oficiais da temporada de 1997 não foi, certamente, a que Gustavo Kuerten esperava. Justamente no ano em que se consagrou como o campeão de Roland Garros, gostaria de voltar ao Brasil com melhores resultados e sem deixar dúvidas sobre seu talento. Mas é importante lembrar que ninguém ganha um torneio do Grand Slam por acaso.
A vitória em Paris, superando adversários como Thomas Muster, Yevgeny Kafelnikov e Sergi Bruguera, todos ex-campeões de Roland Garros; os bons resultados conquistados em Bolonha, e o vice-campeonato no Super 9 de Montreal deixam boas perspectivas para Guga na próxima temporada, apesar do ceticismo que costuma dominar os torcedores.
Gustavo Kuerten só volta a disputar torneios oficiais no dia 19 de janeiro, justamente no primeiro Grand Slam do ano, o Aberto da Austrália. Até lá descansa, participa de exibições e, especialmente, pensará no calendário de 1998.
Até mesmo o seu agente, Jorge Salkeld, da Advantage International, reconheceu hoje (05), em Paris, que Guga está cansado. Por isso, vai ter um papel importante no futuro do brasileiro ao definir os torneios da próxima temporada, sem causar tanto desgaste.
PRESSÃO _ No próximo ano pode-se dizer que Gustavo Kuerten vai viver dentro de uma panela de pressão, tanto são os pontos que precisa defender. Mas nem Guga, nem seu treinador Larri Passos querem se preocupar com este assunto. Para eles o importante é somar, sem que o tenista se sinta pressionado pela necessidade de manter a posição no ranking.
Nesses momentos, Larri Passos costuma lembrar de um fato: se Kuerten perder na primeira rodada de Roland Garros do próximo ano, o pior que pode acontecer é o brasileiro cair para o 30º lugar, ou seja, uma posição bem razoável que ainda permitirá ao tenista entrar direto na chave de qualquer torneio do mundo.
SUPERFÍCIE _ Um objetivo que Gustavo Kuerten não pensa em abrir mão é o de buscar um título importante em todos os tipos de superfície. Não quer ser conhecido apenas como um jogador de saibro. Por isso, vai continuar insistindo no aprendizado e seu calendário de 1998 vai passar por todos os terrenos.
Guga inicia o ano num piso rápido, disputando o Aberto da Austrália. Depois vai fazer o circuito norte-americano de quadras sintéticas, passando por torneios como de San José, Indian Wells, Scottsdale e Lipton. Só depois, em março, jogará uma temporada inteira em quadras de saibro, no circuito europeu, terminando justamente com a defesa do título de Roland Garros. Depois passa por todos os tipos de superfície, da grama aos torneios de carpete indoors.


FÓRMULA-1

Niki Lauda propõe cartão vermelho para os pilotos

Da Agência estado - São Paulo

Para o ex-piloto austríaco Niki Lauda, a Fórmula 1 deveria adotar o mesmo critério disciplinar do futebol: cartões amarelos e vermelhos para os pilotos. "Imagine o que aconteceria se Michael Schumacher tivesse sido campeão, em Jerez, e agora dia 11 ele perdesse o título", questionou Lauda na edição de ontem do diário vienense "Die Presse". Já na Inglaterra, a Fórmula 1 obteve uma das melhores notícias dos últimos tempos: o governo inglês não mais proibirá totalmente a publicidade de cigarros.
Contrariando o que afirmara dia 26 de outubro logo depois do GP da Europa, quando defendeu Schumacher da ação deliberada contra Jacques Villeneuve, Lauda propôs o uso dos cartões e a adoção de um juiz, ou mesmo um jurado, para decidir as infrações dos pilotos no dia da ocorrência. "As penas seriam cumpridas sem discussões ou recursos". O código disciplinar valeria tanto para os treinamentos quanto para as corridas. Um piloto que recebesse o cartão vermelho ficaria de fora da etapa seguinte do Mundial, como faz o futebol.
As alusões do austríaco, três vezes campeão do mundo, foram sempre com referência ao acidente provocado por Schumacher na Espanha, na última etapa do campeonato. "Acredito que os pilotos pensariam duas vezes antes de cometer qualquer irregularidade". Dia 11 Michael Schumacher se apresenta ao Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), em Paris. Ele pode ser suspenso por ter tentado tirar Villeneuve da prova de Jerez e com isso ficar com o título, já que possuía um ponto a mais na classificação.
A Inglaterra não mais radicalizará na proibição da publicidade de cigarros na Fórmula 1. O governo concluiu que seria "contraproducente" banir os investimentos de US$ 167,8 milhões por ano dessas indústrias na categoria. A possibilidade do evento deixar a Europa e transferir-se para a Asia mostrou-se também decisiva para a revisão dos britânicos. "Se essa posição for adotada por outros membros da Comunidade Européia, a FIA está pronta para introduzir regras que reduzam a exposição desse tipo de propaganda", diz o comunicado de ontem da entidade.
O projeto de uma Europa livre da publicidade de cigarros encontrou resistência dos alemães, gregos, holandeses e belgas. Com a entrada da Inglaterra no bloco, ontem, o grupo tem já votos suficientes para derrotar a proposta dos ministros da saúde da Uniâo Européia, que se reunirá dia 4 de dezembro. A ministra britânica da saúde, Tessa Jowell, disse ontem que a intenção do seu governo é levar adiante uma política que atenda aos interesses da saúde pública, mas sem ameaçar o futuro da Fórmula 1. "Estamos nos propondo, junto com os dirigentes da Fórmula 1, a regulamentar o nível de publicidade", afirmou.
Caso Senna - O procurador Maurizio Passarini entrega amanhã ao juiz Antonio Costanzo sua acusação final contra Frank Williams e mais cinco acusados de homicídio culposo pela morte de Ayrton Senna. A sentença será conhecida em dezembro.


FÓRMULA-INDY

Penske chega ao Brasil para inaugurar fábrica de motor

JOSÉ EMÍLIO AGUIAR
Da Agência Estado - Rio

O dono da equipe Penske de Fórmula Indy, Roger Penske, chegou ontem a São Paulo no jatinho particular, um Gulfstream IV de US$ 28 milhões, e seguiu para Curitiba em companhia do novo piloto do time, o brasileiro André Ribeiro. Penske inaugura hoje na capital paranaense uma fábrica da Detroit Diesel Corporation. A DDC produz motores a diesel e é a maior empresa do império de Penske, que tem 25 mil empregados e fatura US$ 4 bilhões por ano. Assim como Émerson Fittipaldi, ex-piloto da Penske, André começa a desenvolver com o novo patrão uma parceria que transcende as pistas. Já levou o patrocínio de uma empresa de telefonia para o time e tenta convencer Roger a ceder espaço no carro para patrocinadores brasileiros. André volta a testar o Reynard 97 comprado da equipe Hogan na próxima semana em Miami enquanto aguarda a estréia do Penske 98, prevista para dezembro.


BASQUETE

Oscar faz mais de 50 pontos na vitória do Bandeirantes

Da Agência Estado - São Paulo

Oscar Schmidt despediu-se da seleção brasileira depois da Olimpíada de Atlanta, em 1996. Ensaia uma futura carreira política _ é o atual secretário de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo. Sua geração já está fora das quadras. Ele insiste em jogar e ainda mostra muito talento. Na véspera de completar 40 anos _ Oscar faz aniversário em fevereiro _, continua sendo o cestinha e o destaque isolado do Campeonato Paulista de Basquete. Na terça-feira à noite, voltou a fazer mais de 50 pontos, pela quarta vez consecutiva.
Defendendo o Banco Bandeirantes, de Barueri, marcou 53 pontos na vitória sobre o Report/Valtra, de Mogi das Cruzes, por 123 a 116. "Estou em estado de graça", definiu Oscar. "Isso nunca me aconteceu antes", observou. "Sei que não vai durar e, por isso, quero aproveitar o máximo esse momento", disse.
Oscar confirma o apelido Mão Santa nesta temporada. Sua estatística registra uma impressionante média de 40,2 pontos por partida. Soma 563 em 14 jogos. Nas últimas quatro partidas marcou 215 pontos _ incluindo o recorde do torneio com os 57 pontos obtidos contra o Tilibra/Bauru. Marcou outros 53 contra o Corinthians, 52 contra o Trianon e mais os 53 de terça-feira (acertou seis cestas de três pontos).
Oscar volta à quadra hoje à noite no jogo do Banco Bandeirantes diante do Inter Winner, de Limeira, às 19h30. A partida será no ginásio Boa Vista, em Barueri.
LÍDER _ Enquanto Oscar continua sendo a estrela do torneio, o Marathon/Gallus, de Franca, comandado por Hélio Rubens, técnico da seleção brasileira, repete a mesma boa campanha da temporada passada, quando foi vice-campeão paulista e campeão brasileiro. Os francanos voltaram a ganhar na terça-feira, contra o Corinthians, por 100 a 80. O time soma 14 vitórias e uma derrota. O segundo colocado, o Polti/COC, de Ribeirão Preto, tem três derrotas.
Hoje Franca vai a Rio Claro para enfrentar o Brastemp que ocupa a sexta colocação no torneio e vem crescendo. "É um adversário perigoso, que já tinha o talento do norte-americano Anderson e cresceu ainda mais com a chegada do Brent", avaliou Helinho, armador francano. O jogo será às 19h30. "Teremos de impor uma excelente marcação sobre os dois estrangeiros de Rio Claro se quisermos vencer", acrescentou Helinho. A equipe de Rio Claro foi surpreendida por uma derrota para o Suggar/MRV, na terça-feira, por 83 a 65.


VÔLEI

Bernardinho convoca Fernanda Venturini e Ana Moser

Da Agência Estado - Rio

Fernanda Venturini, Ana Moser e Ida são as novidades da seleção brasileira de vôlei que se apresenta hoje à tarde, no Rio, ao técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho. A equipe viaja amanhã para o Japão, onde disputará a Copa dos Campeões, o primeiro grande torneio do time em 1997, a partir do dia 14. A competição será disputada com as novas regras de limite de tempo nos sets, que têm provocado polêmica na Superliga Masculina. O Brasil estréia contra Cuba, adversário bastante tradicional. No ano passado, brasileiras e cubanas brigaram na Olimpíada de Atlanta e no Grand Prix de Xangai.
Fernanda, Ana Moser e Ida vão reforçar a seleção. As três atletas ganharam folga esta temporada da equipe, mas decidiram aceitar o convite de Bernardinho para retornar ao time. Ida aproveitará a oportunidade para despedir-se oficialmente da seleção, cuja camisa defendeu por mais de 300 partidas.
Ana Paula, Márcia Fu e Ana Flávia, que também estão fora da equipe, não foram convidadas porque se recuperam de graves problemas físicos. Ana Paula volta de uma fratura por estresse na tíbia, enquanto Márcia e Ana Flávia passaram por cirurgias.
A seleção treina hoje à noite no Centro de Capacitação Física do Exército, na Urca. O embarque para o Japão será às 22h20 de amanhã, no Aeroporto do Galeão. A equipe aproveitará para treinar pela manhã e à tarde.
Já a seleção masculina viaja sábado também para o Japão, onde disputará o mesmo torneio, a partir do dia 15. Os jogos serão disputados nas cidades de Osaka, Hiroshima e Tóquio. As competições distribuirão US$ 750 mil cada uma em prêmios, sendo que US$ 300 mil serão dados aos campeões.
No feminino, vão participar do torneio as seleções de Cuba, China, Rússia, Japão e Coréia do Sul, além do Brasil. No masculino, estão confirmados Brasil, Japão, Cuba, Austrália, China e Holanda.


SUPERCOPA

São Paulo e Colo Colo iniciam a decisão

O meio campista Silas depende de uma avaliação médica a ser feita ainda hoje para
saber se terá condições de enfrentar o Colo Colo.

EMERSON COUTO
Da Agência Estado - São Paulo

O técnico são-paulino Dario Pereyra, que já não contaria com as estrelas Denílson e Márcio Santos, ganhou mais um problema na véspera da partida contra o Colo Colo, do Chile, pela semifinal da Supercopa dos Campeões. O experiente meia Silas, com dores musculares na coxa direita, não treinou ontem, faz tratamento médico e não tem, por enquanto, a presença confirmada. O jogo será às 20h40, no Morumbi.
"A situação é preocupante porque as dores estão limitando alguns movimentos do atleta", explicou o médico José Sanchez. Silas faz um trabalho físico leve, além de fisioterapia, e passará por uma avaliação hoje à tarde. "Expliquei a situação do Sillas para o Dario e não sei se ele (Dario) vai querer utilizar o atleta nestas condições", concluiu Sanchez.
Dos inscritos para a semifinal, apenas o volante Gallo tem escalação confirmada. Além de Silas, o zagueiro Márcio Santos recupera-se de uma contusão no tornozelo esquerdo e deverá voltar apenas na partida de volta contra o Colo Colo, dia 27, em Santiago. Denílson, que atuou na primeira fase na competição, retornou da Espanha, onde fez exames médicos no Bétis, e também será poupado. Marcelinho ganha, mais uma vez, uma chance no time titular.
Dario Pereyra não teme que a ausência de jogadores experientes atrapalhe a equipe no momento decisivo da Supercopa. "Passamos por uma fase crítica, mas a equipe está amadurecendo bastante", analisa o treinador. "Além disso, o time está mostrando um crescimento nas últimas partidas." Dario reconhece a força e a boa fase do adversário, mas espera uma convincente vitória esta noite. "Ficaríamos mais perto da final e do título."
Este é também o pensamento de Dodô, que depois de um longo jejum, voltou a marcar gols nas últimas partidas. Ao todo, já são 51 gols em partidas oficiais este ano. Sorridente, Dodô espera muitos gols no Morumbi para poder jogar com mais tranqüilidade em Santiago. "Ganhamos bem aqui e garantimos com calma a classificação lá", explica.
SÃO PAULO
Rogério; Zé Carlos, Edmilson, Bordon e Serginho, Belletti, Alvaro, Silas (Alexandre) e Marcelinho; Aristizábal e Dodô. Técnico - Dario Pereyra.
COLO COLO
Claudio Arbiza; Fernández, Pedro Reyes, González e Rojas; Pereira, Villaseca, Marcelo Espina e Sierra; Barticciotto e Ivo Basay. Técnico _ Gustavo Benítez.
Juiz _ Jorge Nieves (Uruguai).
Local _ Morumbi


Betis já admite emprestar Denílson

Da Agência Estado - Copenhage

O presidente do Real Betis, Manoel Ruiz Lopera, admitou ontem o interesse de uma equipe espanhola disposta a pagar US$ 3 milhões para ter o meia Denílson por empréstimo, no período de 30 de dezembro a 30 de junho. O dirigente, que se encontra em Copenhague, onde o Betis joga hoje pela Recopa Européia, não revelou o nome do clube e nem se o acordo vai ser realmente fechado. No final de agosto, o clube espanhol anunciou a compra do passe do jogador brasileiro junto ao São Paulo, por US$ 35 milhões, na maior transação do futebol mundial até ontem. A multa rescisório, então, foi fixada em US$ 425 milhões.


Argentinos resolvem deixar a Supercopa

Da Agência Estado - Buenos Aires, Argentina

A Associação de Futebol Argentino (AFA) anunciou ontem a decisão dos clubes de seu país de não participar da Supercopa de 1998. A competição reúne os times campeões da Libertadores, principal competição interclubes do continente sul-americano. O motivo alegado para a desistência é o apertado calendário, que no próximo ano contará com novas competições, entre elas a nova Copa Mercosul, com times dos quatro países integrantes do bloco econômico homônimo (Argentina, Brasil, Chile e Uruguai), considerada mais rentável financeiramente. Os dirigentes do futebol argentino disseram que os clubes brasileiros estão dispostos a seguir o mesmo caminho, o que comprometeria a realização do torneio.


COPA CONMEBOL

Atlético-MG inicia a decisão hoje na Argentina

Da Agência Estado - Belo Horizonte, MG

O Atlético Mineiro enfrentra o Lanús hoje à noite, em Buenos Aires, na primeira partida da decisão da copa Conmebol. Ganhador da primeira edição do torneio, em 1991, e vice-campeão em 1995, o time busca a reabilitação depois de duas derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro _para o Paraná Clube (1 a 0), domingo, e para o Vasco (2 a 0), terça-fiera. A maratona de jogos a que se submete a equipe, classificada para a próxima fase do campeonato nacional, é a principal preocupação do técnico Emerson Leão.
``Não podemos nos deixar abater pelo cansaço'', disse. O Atlético terá o time completo na Argentina. O goleiro Taffarel, que não atuou contra o Vasco, reassume a posição para a saída de Paulo César. No sábado, o clube mineiro volta a campo, dessa vez no Mineirão. Pega o Vitória-BA sem cinco titulares, suspensos, e encerra sua participação na primeira etapa do Brasileiro. O segundo jogo com o Lanús será no dia 26, em Belo Horizonte.
O Lanús, atual campeão da Conmebol, venceu o Boca Juniors por 1 a 0 em seu último compromisso pelo campeonato nacional. Otimista, o técnico do Lanús, Oscar Garré, diz que seu time vai partir para cima do Atlético. "Temos que vencer, não importa por quanto", diz ele. "Depois, a obrigação da vitória se transfere para os brasileiros", lembra
LANÚS
Pedro Rómoli; Serrizuela, Ruggeri, Siviero e Mariano Fernández; Juan Fernández, Cravero, Clotet e Ibagaza; Cláudio Enria e Marcelo Cravero. Técnico: Oscar Garré.
ATLÉTICO MINEIRO
Taffarel; Bruno, Sandro Blum, Sandro Barbosa e Dedé; Doriva, Edgar, Jorginho e Marques; Hernani e Valdir. Técnico - Émerson Leão.
Local - Buenos Aires
Horário - 20h10


Romário sente uma contusão muscular

Da Agência Estado - Valencia, Espanha

O atacante Romário deixou o treinamento do Valencia ontem sentindo sobrecarga no músculo adutor da perna direita. Porém, o médico do clube espanhol, Jorge Candel, afirmou que o jogador brasileiro vai ter condições de enfrentar o Zaragoza no domingo, pelo Campeonato Espanhol. O médico disse também, que a lesão muscular é consequência de uma contusão sofrida no Torneio Naranja, em agosto, que deixou Romário 50 dias afastado dos gramados.


Juiz erra e partida é suspensa

Da Agência Estado - Milão, Itália

O resultado do jogo Juventus x Udinese (Juventus 4, Udinese 1), no último domingo pelo Campeonato Italiano, foi suspenso provisoriamente ontem pelas autoridades esportivas italianas. A Udinese entrou com um recurso para que a partida seja anulada por causa de um erro da arbitragem, que não marcou um gol do atacante alemão Oliver Bierhoff, claramente legítimo de acordo com as imagens de tevê. As fitas mostram que a bola passou a linha do gol antes de o goleiro do Juventus, Ciro Ferreira, defendê-la. O resultado não será homologado até o caso ser esclarecido. Se o recurso for acatado, uma nova partida será realizada. O caso provocou o fortalecimento dos pedidos para que seja introduzido dois juízes em cada partida. De acordo com a proposta, os dois novos integrantes da arbitragem ficariam posicionados atrás de cada um dos gols para esclarecer dúvidas em lances polêmicos.


Copa América começa no sábado

Da Assessoria

Duas das quatro seleções que disputarão, neste final de semana, a quarta edição da Copa América de Beach Soccer estarão treinando hoje em Salvador. Canadá, sétimo colocado no ranking da International Beach Soccer Association - IBSA - e México chegaram ontem a capital baiana e têm treinos marcados para a tarde de hoje, a partir das 14 horas, na praia de Itapuã, no Hotel Catussaba, enfrentando uma seleção baiana que tem como destaque o jogador Beijoca, filho do ex-atacante do Bahia. Beijoca, aliás, juntamente como Cláudio Adão, estará defendendo o Brasil na competição, quando a equipe comandada por Júnior tentará o tetra na Copa América. O time do Brasil, líder do ranking, faz seu jogo de estréia diante do Uruguai, terceiro do ranking, no sábado, às 9 horas, após o jogo de abertura entre mexicanos e canadenses, às 8 horas. As duas partidas terão transmissão ao vivo para todo o país pela Rede Globo de Televisão.
Dirigido pelo técnico Jayr Mazzoni, a seleção do Canadá promete ser uma das surpresas da Copa América. Com um quarto e um terceiro lugares nas duas últimas edições da disputa, os canadenses têm apresentado um rápido desenvolvimento dentro do beach soccer. Tendo como líder o bom goleiro Prevost, a equipe é a grande favorita para uma das vagas na final. Já o México, vice-campeão da II Copa América, vem com um grupo bastante variado, misturando jogadores novos e experientes. O técnico Jorge Wence aposta neste aspecto para tentar ser a grande zebra do torneio.