GP DA AUTRÁLIA

Schumacher nega aposentadoria para 2002

O alemão da Ferrari disse ontem, em Melbourne que pretende continuar correndo ainda por muito tempo

FÁBIO SEIXAS
Da Agência Folha – Melbourne, Autrália

O alemão Michael Schumacher, da Ferrari, negou ontem no circuito de Melbourne que está pensando em se aposentar no ano 2002.

A informação foi publicada nesta semana pela revista alemã "Focus", que entrevistou o empresário do piloto, Willy Weber. Indagado se realmente pensava em parar dentro de quatro temporadas, o bicampeão da F-1 (94 e 95, pela Benetton) foi direto. "Não", respondeu, sem mais comentários.

Atual vice-campeão, o piloto admitiu que a Ferrari chega para este campeonato menos preparada do que em 98.

"Certamente, o novo carro tem menos quilometragem do que o do ano passado no início do campeonato. Mas sinto que fizemos nossa lição de casa", declarou o alemão.

À tarde, Schumacher, aparentemente despreocupado, acompanhou uma competição de "dragsters" (carros preparados para provas de arrancadas) sentado em uma mureta da pista de Melbourne, junto a mecânicos da Ferrari.

Enquanto isso, os rivais Ron Dennis, chefe da McLaren, e Norbert Haug, homem forte da Mercedes, "espionavam" os boxes da Ferrari. Curiosos, os dois pararam em frente à garagem da equipe italiana e passaram a observar o trabalho dos técnicos ferraristas.


McLaren admite conspiração para conquistar mais títulos

Da Agência Folha – São Paulo

A McLaren pode repetir na abertura do Mundial de F-1, na madrugada de sábado para domingo, o discutível jogo de equipe que adotou há um ano, no mesmo GP da Austrália, em Melbourne.

A afirmação foi feita ontem pelo chefe do time inglês, Ron Dennis. "Esse é um esporte de equipes", disse o dirigente.

A primeira etapa da F-1 em 99 começa à 23h (horário de Mato Grosso) de domingo. O treino oficial, que define o grid de largada, acontece hoje, a partir das 22h.

Há um ano, os pilotos da McLaren, Mika Hakkinen e David Coulthard, criaram polêmica ao protagonizar uma troca intencional de liderança no GP da Austrália.

A duas voltas para o final, o escocês, que liderava a corrida, deliberadamente reduziu a velocidade e abriu passagem para o finlandês vencer.

A vitória de Hakkinen, então apenas a segunda de sua carreira, praticamente selou o destino do campeonato, já que a McLaren passou a lhe reservar tratamento de primeiro piloto.

Coulthard justificou sua decisão dizendo que queria recompensar o companheiro por um erro que a equipe havia cometido nos boxes.

O fato também abriu uma discussão ética dentro da F-1, que culminou com uma ameaça da FIA (Federação Internacional de Automobilismo): puniria quem "manipulasse" o resultado de uma prova.

Ontem, Ron Dennis afirmou que, dependendo do que acontecer na disputa de domingo, um de seus pilotos pode trabalhar para favorecer o outro.

"Se as circunstâncias do ano passado se repetirem, acho correto que seja tomada a mesma decisão", afirmou o dirigente. "As equipes são livres para atuar."

O homem forte da escuderia, atual campeã do mundo, disse ainda que optou pela velocidade, em detrimento da confiabilidade, para a disputa do GP da Austrália-99.

"Consideramos correr essa prova com o carro do ano passado, que já conhecemos tão bem. Mas escolhemos o carro novo, mais veloz, mas que ainda não provou ser resistente", disse Dennis.


Zanardi se considera estreante

Da Agência Folha – Melbourne, Austrália

Bicampeão da Indy em 97 e 98, o italiano Alessandro Zanardi foi oficialmente reapresentado à F-1 ontem, no circuito de Melbourne. Ele se definiu como "uma espécie de estreante aos 32 anos" e comparou as duas categorias.

"Estava acostumado a liderar uma prova, sofrer um acidente, cair para o último lugar e, depois, acabar recuperando a liderança. A F-1 não funciona dessa maneira."

Afastado da categoria desde 94, o italiano visitou a pista australiana - na qual nunca correu - e provocou risadas ao comentar uma frase de Ron Dennis.

O chefe da McLaren havia dito que é mais fácil conseguir motivação depois de um período difícil.

"Então, posso dizer que temos motivação de sobra", afirmou Zanardi, em alusão à má temporada de sua atual equipe, a Williams, no ano passado.


NATAÇÃO

Luiz Lima conquista o ouro e bate recorde

Da Agência Folha – São Paulo

O Brasil fechou com medalha de ouro a última etapa da Copa do Mundo de natação, em Impéria, na Itália. Luiz Lima venceu os 1.500m livre, com o tempo de 14m55s44, superando o seu próprio recorde sul-americano.

Fernando Scherer, o Xuxa, também subiu no pódio italiano. Ele chegou em segundo nos 50m livre, em 22s32, e ficou com a medalha de prata.

Com as duas medalhas de ontem, o Brasil termina a Copa do Mundo com uma participação histórica. Foram 56 medalhas no total, sendo 13 de ouro, 20 de prata e 23 de bronze.

Gustavo Borges, que faturou 11 medalhas, garantiu o primeiro lugar no ranking de velocistas. Porém, não poderá receber o prêmio em dinheiro, já que não participou de todas as etapas da competição.


FUTSAL

Várzea Grande precisa de uma vitória para assumir liderança

Da Reportagem

As seleções de Várzea Grande e Campo Novo dos Parecis abrem a quarta rodada da região II, da Primeira Copa Mato-grossense de Seleções – Inter Seleções, hoje às 20h30, no ginásio Dom Aquino. E em Cáceres, a seleção local recebe Tangará da Serra. Cáceres está em primeiro lugar com seis pontos, em segundo, Várzea Grande e Tangará da Serra com quatro e em quarto lugar com três pontos Campo Novo dos Parecis.

Dando seqüência as rodadas, amanhã acontecerá mais cinco jogos. Em Cuiabá, no ginásio Dom Aquino, Várzea Grande enfrenta Tangará da Serra. Em Santo Antônio de Leverger, Santo Antônio pega a seleção de Rondonópolis. A seleção de Cáceres recebe a seleção de Campo Novo dos Parecis. Em Alta Floresta, a seleção local pega Vera e finalizando, a Sinop recebe Sorriso.

Os jogos da região I serão concluídos amanhã entre Santo Antônio e Rondonópolis. A classificação da região I esta assim: Santo Antônio de Leverger (tem mais um jogo) em primeiro lugar com 11 pontos, empatados com sete pontos estão Chapada dos Guimarães e Rondonópolis (um jogo a menos) e em último lugar Cuiabá que nos seis jogos disputados conquistou apenas seis pontos.

A classificação da região III é a seguinte: 1o lugar com seis pontos a seleção de Sorriso; 2o lugar a seleção de Sinop e as seleções de Alta Floresta e Vera ainda não pontuaram.

Marcelo Nogueira da seleção de Rondonópolis com 10 gols é o artilheiro da Copa seguido de perto pelos atletas Valdomiro (Tangará da Serra) e Luciano (Chapada dos Guimarães) com oito gols cada.


COPA CENTRO-OESTE

Operário fica mais perto da classificação

Num jogo de poucos torcedores, o Operário passou pelo Ivinhema, no Verdão, e decide a vaga contra o São Mateus

ROSIVALDO SENNA
Da Redação

Em mais uma partida válida pela Copa Centro-Oeste, o Operário de Várzea Grande venceu, ontem à noite, no Verdão, o Ivinhema, de Mato Grosso do Sul por 3 a 1, e decide sua classificação no grupo A contra o São Mateus-ES, no dia 17, em Vitória. Os gols foram marcados por Jailson, Índio e Cláudio, para Operário, e Luiz Antonio, para o Ivinhema. Além dos cartões amarelos, foram expulsos Dito Siqueira, do Operário e Emerson, do Ivinhema.

O Operário, que na partida de ida havia goleado o Ivinhema por 4 a 0, começou o primeiro tempo no ataque e logo aos 1 minuto e 49 segundo, Jailson aproveitou um escanteio batido por Geraldinho e abriu o marcador. Suspreendido, o time de Mato Grosso do Sul não conseguia fazer nenhuma jogada e deu campo para o "chicote da fronteira". Aos 9 minutos, numa boa trama do ataque, Dito Siqueira perdeu o segundo gol cara a cara com o goleiro aranha.

Aos poucos o Ivinhema foi se armando em campo e aos 11, Benê, o melhor jogador do time, entrou na área e chutou em cima de Agnaldo, que defendeu. O jogo continuou equilibrado e aos 22 minutos, Jonas derruba Adriano na entrada da área. Benê bate a falta e Agnaldo faz mais uma grande defesa.

Aos 23 minutos, num contrataque, Índio invade a área e já sem ângulo cruza para Newton que com tranqüilidade marca o segundo gol operariano. O tricolor continua atacando e aos 25, Geraldinho sofre falta na intermediária. Dito Siqueira bate e quase marca, com Aranha fazendo uma boa defesa. O jogo continuou muito movimentado até aos 43, quando num cruzamento da direita, Luiz Antonio dominou e chutou no canto direito de Agnaldo, que nada pode fazer. dois a um.

O Operário começou o segundo tempo também no ataque. Logo aos 2 minutos, Cláudio quase marca ao aproveitar um escanteio batido por Dito Siqueira. Aos 3 minutos, Cláudio marca o terceiro do Operário. Em mais um cruzamento de Dito Siqueira, a bola passa quase que toda a grande área e sobra para Cláudio, que meio deitado e em posição duvidosa, joga para o fundo da rede.

Aos 17 minutos, Dito Siqueira comete sua segunda falta e é expulso. Mesmo com um homem a mais, o Ivinhema não soube aproveitar a vantagem para marcar. Aos 18, Saci ganha na velocidade, vai na linha de fundo e cruza. Newton cabeceia e Aranha joga para escanteio. O Ivinhema volta a equilibrar a partida, mas aos 32 minutos, por cometer também a segunda falta, o juiz Nílson Justino Pereira, de Goiás, expulsa Emerson. Daí para frente, o Operário passou a tocar mais a bola para garantir a vitória.

OPERÁRIO 3
Agnaldo; Saci, Márcio, Jailson, e Renatinho (Patrick) ; Cláudio, Jonas (Iuca), Dito Siqueira e Geraldinho; Índio (Odielson) e Newton. Técnico: Gil Alves

IVINHEMA 1
Aranha; Biro, Emerson, Márcio e Clodoaldo; Fabiano (Álvaro), Benê, Adriano e Paulinho; Fábio (Juliano) e Luiz Antonio (Couto). Técnico; Silas Sanches.

Expulsões: Dito Siqueira, do Operário, aos 17, e Emerson, do Ivinhema, ambos no segundo tempo.

Juiz: Nílson Justino Pereira, de Goiás
Local: Verdão
Renda: Não divulgada


Operário decide vaga contra o São Mateus

Da Redação

O Operário de Várzea Grande, líder do Grupo A da Copa Centro-Oeste, com sete pontos, joga sua classificação no próximo dia 17, no Espírito Santo, contra o São Mateus. Se empatar, o tricolor garante sua vaga, mesmo com o time capixaba tendo que fazer mais um jogo em casa, contra o Ivinhema, no dia 24. E que o "chicote" somaria 8 pontos e o São Mateus conseguiria, no máximo, seis.

Sem querer fazer cálculos, o treinador Gil Alves terá até o jogo contra o São Mateus para armar a equipe, prejudicada com a expulsão de Dito Siqueira no jogo de ontem. Gil tem várias opções, mas a mais provável é a entrada de Iuca. Até o dia do jogo o atleta terá tempo para melhorar a forma física.

Mesmo complicando em casa, quando poderia ter vencido o São Mateus, os jogadores operarianos estão confiantes e prometem trazer do Espírito Santo pelo menos o empate. Para eles, a vitória ontem contra o Ivinhema serviu para melhorar o ânimo do grupo, que com a classificação poderá ter a tão esperada recompensa. Acreditando na classificação, o a diretoria do tricolor já fala em mais duas contratações. (R.S)


CAMPEONATO CARIOCA

Vágner diz que pode voltar ao Santos

Da Agência Folha – São Paulo

O atacante vascaíno Vágner, que quase provocou uma grande briga na final do Torneio Rio-São Paulo, no Morumbi, disse que pode voltar a jogar pelo Santos, onde atuou entre 1995 e 1997. Os santistas disseram que Vágner os ofendeu na partida de quarta-feira, que o Vasco venceu por 2 a 1.

O atacante, cujo passe pertence à Roma (Itália), está emprestado ao time carioca até o final da Taça Libertadores. Segundo Vágner, o presidente do Santos, Samir Abdul-Hak, o procurou para falar do interesse na troca do volante Marcos Assunção com o clube italiano. "Se tiver que voltar para o Santos, volto. Não estou preocupado se o Leão vai me querer ou não. Gostaria também de ficar no Vasco. Quero jogar numa equipe seja vencedora", afirmou.

Os técnicos Emerson Leão, do Santos, e Antônio Lopes, do Vasco, tiveram que evitar uma briga generalizada após o final do jogo.

"Cada vez que dava um drible, ele ironizava. Falava que ganhava muito mais do que nós. Parece que ele se esqueceu que o Santos sustentou a sua família por muitos anos", disse o zagueiro Argel. Segundo o santista, Vágner "saiu lucrando". "Se ele fizesse a mesma coisa na Argentina, não sairia do estádio. Depois ainda falam que o Santos é uma equipe violenta", completou Argel.

Vágner afirma que ele apenas seguiu as orientações de Antônio Lopes. "Entrei na partida para segurar a bola no ataque, com jogadas individuais. Não tenho culpa que os jogadores do Santos foram afobados e não conseguiram tirar a bola de mim"', disse.

Vágner afirmou que a provocação maior vinha do técnico Leão. Segundo o atacante, o técnico santista mandou seus jogadores atingirem o seu tornozelo. "Realmente o Santos é um time que bate, mas não sabe bater direito", disse.


CAMPEONATO PAULISTA

Lúcio e Rodrigo podem reforçar o Santos contra o Palmeiras

MARCELO TEIXEIRA
Da Agência Folha – São Paulo

Os meia-atacantes Lúcio e Rodrigo poderão ser as novidades do Santos para o primeiro clássico do Campeonato Paulista 99, que acontece neste domingo quando o time da Vila Belmiro enfrenta o Palmeiras.

O jogador Lúcio, que está recuperado de uma ruptura dos ligamentos do tornozelo direito, deverá participar do coletivo que o Santos realizará hoje à tarde, no Centro de Treinamento Rei Pelé.

O meia-atacante Rodrigo, que veio do Flamengo em uma negociação que envolveu a ida para o Rio do volante Narciso, deve ter sua documentação regularizada na Federação Paulista até hoje à tarde.

O jogador, que tem treinado regularmente no Santos, não participou do torneio Rio-São Paulo porque já havia atuado pelo Flamengo.

O técnico Leão afirmou ontem que não há motivo para o time estar de "moral baixo" devido à derrota para o Vasco.

"Não tem nada que ficar chateado depois de um vice-campeonato. Pelo contrário. Todos devem se sentir honrados com isso. Seria diferente se tivéssemos sido desclassificados prematuramente do torneio", afirmou.

Os jogadores santistas que atuaram contra o Vasco tiveram folga ontem, mas Viola teve um compromisso na parte da manhã. Ele foi à polícia prestar depoimento sobre uma possível agressão contra um torcedor santista na última terça-feira.

Viola negou ter agredido o funcionário público Renato Azevedo Silva, afirmando que foi contido pelos companheiros do time. A polícia agora enviará o inquérito para o Ministério Público, que decidirá sobre o oferecimento ou não de denúncia contra Viola.


SÃO PAULO

Capitão e Zé Carlos são vendidos para o Grêmio

Da Agência Folha – São Paulo

A diretoria do São Paulo definiu ontem a venda do volante Capitão e do lateral-direito Zé Carlos para o Grêmio. No total, a equipe gaúcha vai pagar R$ 800 mil pelos reforços (R$ 200 mil por Capitão, 32, e R$ 600 mil por Zé Carlos, 30).

Capitão e Zé Carlos estavam fora dos planos do técnico Paulo César Carpegiani. Desde que o treinador assumiu o São Paulo, no final do ano passado, o lateral-direito, reserva da seleção brasileira na Copa da França, participou de poucas partidas. Carpegiani considera Zé Carlos "pouco versátil".

Capitão teve mais oportunidades. Porém, com a evolução técnica de Edmílson e a recuperação física de Alexandre, que estava com uma fratura na tíbia, o volante acabou perdendo a posição de titular.

Além disso, o São Paulo contratou o volante equatoriano Caraballi, que ainda não atuou pelo time.


LIBERTADORES

Palmeiras enfrenta hoje a garra dos paraguaios

Da Agência Folha – São Paulo

Exatas 48 horas depois de golear o Cerro Porteño por 5 a 2, o Palmeiras volta hoje ao estádio Defensores del Chaco, em Assunção, para enfrentar o outro time "grande" do Paraguai, o Olimpia.

O jogo, válido pelo Grupo 3 da primeira fase da Taça Libertadores da América, está marcado para as 21h40 (horário de Mato Grosso).

Duas vezes campeão do torneio sul-americano (1979, quando também venceu o Mundial interclubes, e 1990), o Olimpia apresenta características inexistentes no Cerro: garra, futebol-força e catimba - ou, para usar uma expressão adequada ao jogo de hoje, "espírito de Libertadores".

O lateral-direito palmeirense Arce, paraguaio que iniciou a carreira no Cerro e conhece muito bem o futebol do país, diz que o Olimpia segue um estilo totalmente diferente do rival de quarta-feira.

"Eles (o Olimpia) se espelham na escola uruguaia, têm um jogo muito duro, enquanto o Cerro, que sempre teve treinadores e jogadores brasileiros, é mais técnico", afirmou Arce, que hoje completa o seu 50º jogo em Libertadores (já disputou três vezes o torneio pelo Cerro e três pelo Grêmio, onde foi campeão em 95).

O adversário de hoje é conhecido do time de Scolari. No ano passado, pela Copa Mercosul, eles se enfrentaram duas vezes. No primeiro jogo, em São Paulo, o Palmeiras venceu por 2 a 0.

Os brasileiros também ganharam a partida de volta - interrompida no meio do segundo tempo, quando estava 1 a 0, por causa de uma garrafa atirada pela torcida em um dos bandeirinhas.

Com uma defesa fraca, o Olimpia aposta a sua sorte hoje na habilidade do meia Walter Avalos e no oportunismo do atacante uruguaio Marcelo Paredes.

O time não terá o lateral-direito Valdéz, expulso contra o Cerro, que será substituído por Cáceres.

O técnico é o ex-jogador uruguaio Luis Cubillas, o mesmo que conquistou a Libertadores em 79 e 90.

OLIMPIA
Tavarelli; Cáceres, Caniza, Zelaya (Puente) e Franco; Bourdier, Carlos Paredes, Pérez e Avalos; Santa Cruz e Marcelo Paredes. Técnico - Luis Alberto Cubilla

PALMEIRAS
Velloso; Arce, Júnior Baiano, Cléber e Júnior; Rogério (Galeano), Roque Júnior, Alex (Jackson) e Zinho; Evair e Paulo Nunes. Técnico - Luiz Felipe Scolari

Local - estádio Defensores del Chaco, em Assunção (Paraguai)
Horário - 21h40
Juiz - Eduardo Gamboa (Chile)