JUDÔ

Aurélio Miguel consegue uma vaga para o Mundial

O judoca conquistou a vaga no tapetão, após uma batalha judicial contra a CBJ.

Da Agência Folha – São Paulo

Depois de vencer uma disputa judicial com a CBJ (Confederação Brasileira de Judô), o meio-pesado Aurélio Miguel garantiu ontem vaga para o Mundial de Birmingham, na Inglaterra, de 7 a 10 deste mês.

Miguel, campeão olímpico em Seul-88 e bronze em Atlanta-96, obteve uma liminar para disputar uma seletiva final com Marcelo Figueiredo, que já havia sido declarado pela CBJ o dono da vaga na categoria.

A decisão (melhor de cinco) foi marcada pela entidade para a tarde de ontem, no Rio de Janeiro. Como Figueiredo não compareceu, Miguel ficou com a vaga.

A disputa entre o judoca e a CBJ começou no dia 29 de agosto, data dos combates finais para definir a equipe brasileira do Mundial.

Miguel enfrentaria na final Marcelo Figueiredo, pré-classificado por ter sido bronze no Pan-Americano de Winnipeg, mas pediu um adiamento de 30 dias por causa de uma contusão.

O judoca se baseou em um acordo assinado entre atletas e CBJ há sete anos.

A entidade que controla o judô no Brasil não aceitou a alegação de Miguel e declarou Figueiredo o vencedor da vaga.

"Fico triste com toda essa situação. Todos nós servimos como marionetes nas mãos da CBJ, que tentou nos manipular o tempo todo", afirmou o judoca, após ter sido declarado o meio-pesado da seleção brasileira.

Aurélio Miguel rebateu as insinuações de que poderia ter simulado uma contusão para ganhar tempo adiando o combate final.

"Tenho um atestado médico e exames sérios que comprovam isso", disse o judoca. "Aliás, preferia ter lutado naquele dia, pois estava mais bem preparado do que estou hoje, já que estou me recuperando."

Com Aurélio Miguel no meio-pesado, fica definida a seleção brasileira que esteve arriscada de não disputar o Mundial.

No último dia 24, a CBJ anunciou que os brasileiros não estariam presentes na competição por falta de verba.

Como a entidade não possui patrocínio e não recebe verbas governamentais, os atletas são os responsáveis pelo custos.

Terminava naquele dia o prazo dado pela entidade para os 14 atletas depositarem o dinheiro para a viagem, e apenas três judocas haviam pago a quantia estipulada (US$ 3.000).

A CBJ, que afirmava que sua decisão era irrevogável, recuou então duas vezes.

Na quarta-feira, divulgou que a equipe poderia viajar desde que fossem cumpridas cinco condições, entre elas o pagamento do valor combinado e a desistência de Aurélio Miguel de disputar vaga entre os meio-pesados.

Quinta-feira, a entidade anunciou que o custo para a viagem havia diminuído para US$ 2.050 por atleta e decidiu então marcar o confronto entre Marcelo Figueiredo e Aurélio Miguel.

NA BRONCA

O judoca Marcelo Figueiredo disse que não compareceu ontem para a disputa com Aurélio Miguel porque já havia decidido não bancar o palhaço.

"No dia da seletiva (em agosto), quando ele não apareceu para lutar, já havia decidido que não entraria no tatame novamente. Não sou palhaço".

Bronze no último Pan, Figueiredo disse que não entrou com uma ação na Justiça devido ao tempo escasso. "Foi decepcionante. Marcaram a luta em cima da hora, e agora não dá tempo de fazer nada."

O judoca disse ter confiado na CBJ, que garantiu que a vaga era dele.

"Fiz tudo dentro da regra. Participei de todos os treinos e concentrações obrigatórios para o primeiro e o segundo colocados na seletiva, mas o Aurélio não", afirmou. "Se eu tivesse feito isso, estaria cortado."

Aurélio Miguel disse que, a princípio, não participou dos treinos por estar contundido.

"Estava em tratamento, fazendo fisioterapia. Assim que tive alta, pedi autorização para me juntar ao grupo, mas não obtive resposta da CBJ."

Marcelo Figueiredo disse que agora seu pensamento está totalmente voltado para a Olimpíada. "Só espero que não me tirem da seletiva olímpica em outra sujeirada."


SÉRIE B

São Caetano e Desportiva fazem jogo dos contrastes

WELLINGTON RAMALHOSO
Da Agência Folha – São Paulo

A Série B do Campeonato Brasileiro terá o "jogo dos contrastes" no próximo domingo. O São Caetano, dirigido pelo técnico Luís Carlos Martins, recebe a Desportiva no estádio Anacleto Campanela, em São Caetano do Sul (SP), pela 15ª rodada, às 15h30.

A equipe paulista cumpre a melhor campanha da competição e lidera com 31 pontos. Em 15 jogos, venceu 9 e perdeu apenas 2. Tem o melhor ataque, com 25 gols, e o melhor saldo (13).

O time capixaba amarga a última posição do torneio, com apenas cinco pontos. Depois de 14 partidas, a Desportiva tem 11 derrotas e somente 1 vitória. A equipe tem o pior ataque do campeonato, com 6 gols marcados, além do pior saldo (-17).

A 15ª rodada será aberta hoje, em Natal, com o jogo entre América-RN e Sampaio Corrêa, às 16h.

No domingo, logo às 9h, a Tuna Luso pega o Santa Cruz em Belém. Às 15h, Bragantino e Ceará se enfrentam em Bragança Paulista (SP).

Três partidas começam às 16h. Em Salvador, o Bahia recebe o União São João. O time baiano, último a perder a invencibilidade, vem agora de duas derrotas seguidas.

ABC e Paysandu jogam em Natal. A equipe potiguar está na quinta posição, com 22 pontos. Os paraenses têm um ponto a menos e ocupam o nono lugar. Em Maceió, o CRB pega o Vila Nova - melhor defesa com apenas nove gols sofridos.

A rodada será encerrada na segunda-feira. Depois de jogar hoje no interior paulista, o Remo vai a Belo Horizonte e pega o América-MG, às 20h, no Mineirão.


PIXOTE

Escolinha do Gaúcho vai disputar três semifinais

Da Reportagem

A Escolinha do Gaúcha participa na manhã de hoje de três semifinais do Campeonato Pixote, um evento promovido pela Secretaria Municipal de Esportes. Os jogos serão realizados a partir das 7h45, no mini-estádio Jardim Universitário. As equipes da escolinha do Gaúcho que disputam vaga para a decisão do torneio são mamadeira, fraldinha e mirim.

A equipe mamadeira, que vem sendo a sensação da competição, participa pela primeira vez do Pixote. E pelo que vem demonstrando tem tudo para conquistar a vaga para o título. Já a equipe fraldinha entra em campo para vencer e depois poder brigar pela conquista do bicampeonato da categoria. Logo depois entra em campo o time mirim, que também tem tudo para conquistar o título de campeão.

Mas as competições da Escolinha do Gaúcho não param por aí. No período da tarde, às 17h00, no Bufet Sabore D’Itália, será realizada a decisão do título da Copa Mirim City Lar. Os jovens valores que se preparam na escolinha para galgar os grandes clubes do país estão animados para mais esta decisão e prometem colocar o coração no bico da chuteira durante toda a partida e acertar a pontaria para não perder uma única oportunidade sequer na conquista do título.


TÊNIS

Guga desiste de disputar torneio

Da Agência Folha – São Paulo

Dores no braço direito fizeram Gustavo Kuerten cancelar a participação no Torneio da Basiléia, Suíça, na próxima semana.

Quinto colocado no ranking mundial do tênis, o brasileiro retornou ontem da Europa. Na terça-feira, em Munique, ele atuou na Copa Grand Slam - evento que reúne os tenistas de melhor desempenho nos Grand Slams -. Caiu na primeira partida, batido pelo britânico Greg Rusedski.

"Não quis forçar muito antes de competições tão importantes, como os Super 9 de Suttgart e Paris e o Masters, que é a minha prioridade", disse o tenista, justificando a desistência do evento suíço.

Ele ficará em Florianópolis (SC), fazendo tratamento, até quinta. Então, irá para Viena (Áustria), disputar o evento local. Na semana seguinte, tentará "wild card" convite para jogar em Lyon (França). Por fim, está inscrito em Stuttgart (Alemanha) e Paris.

Todos esses torneios são em quadras rápidas (carpete), mesma superfície do Masters. O Masters, a partir de 22 de novembro, reúne os oito tenistas que mais pontos acumularem na temporada. Estão confirmados o norte-americano Andre Agassi e o russo Yevgeny Kafelnikov. Kuerten é o terceiro nesta lista.


CAMPEONATO BRASILEIRO

Paulo Nunes esquece clima de guerra

O atacante palmeirense promete até cumprimentar o desafeto Vágner, jogador do São Paulo, durante o clássico

LUÍS ANDRÉ ROSA
Da Agência Folha – São Paulo

O atacante palmeirense Paulo Nunes quer desarmar o clima de guerra no clássico contra o São Paulo, doimingo, no Morumbi, e até aceita cumprimentar o volante são-paulino, que o acusou de racismo.

"Não tenho nada contra a pessoa do Vágner, tanto que se ele me estender a mão na partida vou cumprimentá-lo sem problemas", prometeu Paulo Nunes.

O palmeirense ficou constrangido com tantas perguntas sobre o seu possível encontro com o são-paulino.

"Gente, esse assunto já passou. Vocês insistem, mas eu não tenho nada a declarar. A minha resposta é que amanhã vou entrar em campo para jogar futebol, só isso."

O atacante também não teme que outros jogadores do São Paulo tentem intimidá-lo com provocações ou faltas para tentar enervá-lo. "Quem tem que ver isso é o juiz".

O árbitro do clássico será Edílson Pereira de Carvalho, mesmo juiz que comandou Corinthians e Palmeiras e alegou não ter visto a cusparada de Rincón em Paulo Nunes.

Os dois desafetos podem até se cumprimentar no clássico, mas o processo que Paulo Nunes está movendo contra Vágner e Rincón vai continuar.

"Só vamos retirar a denúncia se houver retratação pública", disse o advogado do jogador, Antônio Carlos Catapretta.

No prazo máximo de três meses, Catapretta reunirá as provas com as declarações dos acusados e as testemunhas para mostrar que o seu cliente não é racista. "Provar racismo é muito difícil. Como uma pessoa é racista, sendo padrinho de casamento de uma funcionária que é negra? E o presente foi uma casa", disse Catapretta, dando um dos argumentos de defesa.

O capitão Zinho ergue a bandeira do cavalheirismo entre os dois times e pede para todos enterrarem as desavenças. "Essa história de racismo já encheu. Vamos esquecer, pessoal. Se ficarmos falando só nisso, quem vai perder é o futebol", disse Zinho.

Até mesmo as declarações do presidente do São Paulo José Augusto Bastos Neto, que disse que o Palmeiras é um time de velhos foram minimizadas. "Foi uma declaração preconceituosa, mas acho que isso não vai ter peso dentro de campo. A nossa preocupação é jogar bem contra o São Paulo e somar pontos", disse Evair.

O que os palmeirenses não esquecem é que, no último clássico, o Palmeiras foi derrotado por 5 a 1 e todos reclamaram que os são-paulinos partiram para a humilhação. "Foi uma situação chata e não queremos que isso se repita", disse Galeano.

Desfalque

O meia Alex, do Palmeiras, está fora do clássico de amanhã. O jogador, que se submeteu a exames na coxa direita hoje, foi vetado pelo departamento médico do clube. "O Alex não joga. Ele ainda está com dores no músculo adutor da coxa", afirmou o médico Marcelo Saragiotto, que, no entanto, prevê que o jogador terá condições de enfrentar o Cruzeiro na quinta-feira, pela Mercosul.

Para o lugar de Alex, o técnico Luiz Felipe Scolari vai escalar Evair, que jogará recuado.


Vágner quer jogar o clássico

FERNANDA FACTORI VIEL
Da Agência Folha – São Paulo

O atacante Vágner treinou ontem e pode ser escalado para enfrentar o Palmeiras, amanhã, no Morumbi.

O técnico Paulo César Carpegiani tentou amenizar a briga com Paulo Nunes e pediu que o jogador, que acusou o rival de racista, não desse mais declarações sobre o assunto.

Com dores no calcanhar direito, Vágner ficou de fora do jogo contra o Vasco, na última quarta-feira. Ontem à tarde, ele participou do treino coletivo e não deu entrevistas à imprensa.

Carpegiani não condenou a atitude de Luiz Felipe Scolari, técnico do Palmeiras, de usar as declarações de Vágner e do presidente José Augusto Bastos Neto, que menosprezou o Palmeiras, para motivar o time: "Em seu lugar eu faria o mesmo".

O técnico do São Paulo acredita que, se Paulo Nunes chamou Vágner de "negro nojento", como o volante são-paulino afirmou, não foi uma atitude de racismo.

"Futebol é na garganta, tem gente que ganha no grito. Dentro de campo os jogadores falam muitas coisas para intimidar e irritar o adversário. É uma situação normal de jogo", disse.

Carpegiani se esforça para abafar o clima tenso: "O clássico já é uma guerra. Se começar com essa troca de ofensas, vira uma guerra mundial".


Antônio Lopes decide mudar formação tática do Vasco para o clássico de amanhã

Rio de Janeiro

O técnico Antônio Lopes deve modificar o esquema do Vasco, para o clássico contra o Flamengo, amanhã. Com objetivo de fortalecer a marcação da equipe, o treinador testou uma formação com dois volantes no treino de ontem, em São Januário. Isso porque no jogo com São Paulo, na quarta-feira, a equipe cedeu muitos espaços para a equipe paulista, o que irritou Lopes. Assim, Nasa volta ao time no lugar de Ramón, que ficará no banco de reservas.

Há duas semana sem atuar, Nasa retorna ao time com a função de ajudar Amaral a parar o meio-de-campo do Flamengo. Para isso, ele deve ficar fixo na proteção aos zagueiros, com Amaral marcando um pouco mais a frente. Completam o setor Juninho e Felipe, que terá liberdade para atacar. Apesar de não ter atuado bem no último jogo, Felipe conta com a confiança de Lopes.

Na zaga, o técnico confirmou a escalação de Geder no lugar de Odvan, que recebeu o quinto cartão amarelo contra o São Paulo. O atacante Viola retornou aos treinamentos e pode ficar no banco de reservas.


Flamengo não fará mudanças

Rio de Janeiro

Preocupado com o clássico contra o Vasco, amanhã,, o técnico Carlinhos conversou durante meia hora com os jogadores do Flamengo ontem à tarde e reclamou da atuação do time na partida com o Atlético Mineiro, na quarta-feira. O treinador explicou quais foram os erros cometidos pela equipe nesse jogo. As falhas cometidas pelos zagueiros em cruzamentos na área foram o principal ponto abordado por Carlinhos.

O seu substituto na última partida, Eduardo, foi mantido no time no coletivo de ontem, mas ainda não garantiu a posição. Isso porque o jogador não permitiu várias jogadas pelo seu lado na quarta-feira e perdeu o lugar para Maurinho, improvisado na lateral.

O treino do Flamengo para o clássico contra o Vasco foi marcado por um tumulto entre um torcedor e o atacante Romário. Aos gritos, o torcedor Carlos André pedia mais empenho dos atletas e reclamava a cada jogada errada, notadamente de Romário, com ofensas. O atacante irritou-se com o torcedor, correu até o alambrado e pediu que ele fosse retirado. Carlos continuou protestando e foi agredido por seguranças do Flamengo e por um amigo de Romário, Fernando Lima, o Zé Colméia.

Fora do centro de treinamento, o torcedor rasgou a bandeira do Flamengo que carregava no carro e Zé Colméia completou a agressão, derrubando o torcedor com um tapa na cara. Carlos André e um amigo deixaram o Fla-Barra dizendo que registrariam queixa na delegacia mais próxima.


Vitória anima botafoguenses

Rio de Janeiro

Os jogadores do Botafogo tiveram dois motivos ontem para esquecer o risco de rebaixamento para a Segunda Divisão: a vitória sobre o Botafogo de Ribeirão Preto por 1 a 0, na quinta-feira, a segunda no Campeonato Brasileiro, e o pagamento do salário de setembro. "Tenho certeza de que vamos conseguir superar essa má fase", disse o meia Sérgio Manoel, autor do único gol da partida.

Para o técnico Antônio Clemente, vencer o jogo com o Paraná, quarta-feira, em Curitiba, será decisivo para as pretensões do Botafogo na competição. "Enquanto tivermos chances, não podemos esmorecer", declarou. Ele não deve fazer alterações no time. Hoje, o Botafogo treina pela manhã, em Caio Martins.

O lateral Luís Paulo levou pancada no tornozelo esquerdo, mas deve ter condições de jogo. O atacante Darci sofreu corte no rosto, num choque com um zagueiro do Botafogo de Ribeirão, recebeu dois pontos e foi liberado em seguida pelos médicos.


Minas pode ter recorde de renda

Belo Horizonte, MG

O clássico entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, amanhã, no Mineirão, que marca o confronto entre os dois artilheiros do Campeonato Brasileiro (Guilherme e Alex Alves) deve registrar novo recorde de público no campeonato. Os organizadores da partida colocaram à venda 90 mil ingressos e, a julgar pelo número de torcedores que compareceram ao jogo Atlético 3 x 0 Flamengo, na quarta-feira (70 mil pagantes), tudo indica que o espetáculo terá casa lotada.

Outra expectativa é quanto à arbitragem. O mineiro Márcio Resende de Freitas, escalado pela CBF, tem uma história, no mínimo, polêmica nos confrontos entre os dois times. Acusado de ser cruzeirense pela torcida atleticana, Resende ficou vetado para jogos do time alvinegro por um longo período. Em 1994, ele anulou três gols do Atlético contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. No ano seguinte, invalidou gol legítimo do então lateral atleticano Paulo Roberto, o que foi constatado pela comissão de arbitragem da CBF.


CAMPEONATO BRASILEIRO

Corinthians quer manter liderança

Para isso terá de vencer a Lusa, que vem de sete jogos sem vitórias e quer se reabilitar exatamente no clássico

FÁBIO VICTOR E MAÉRCIO SANTAMARINA
Da Agência Folha – São Paulo

Um, líder isolado do Brasileiro, o outro, nas últimas posições, Corinthians e Lusa tentam, cada um à sua maneira, se livrar das crises causadas pelos últimos resultados no Brasileiro no clássico de hoje, às, 15h, no estádio do Canindé.

Os corintianos estão sem vencer há quatro jogos (três pelo Brasileiro), recorde negativo da equipe desde o início da competição.

Sua última vitória no Brasileiro foi contra o Cruzeiro. Depois, perdeu de Palmeiras, Vasco e Independiente (este último pela Copa Mercosul) e empatou com o Sport. Nessa série, sofreu nove gols e marcou seis, outra marca contrastante com o time 100% até a sétima rodada do campeonato, em que tomou sete e fez 23 gols.

A Lusa, por sua vez, faz a sua pior campanha da década de 90, ocupando a penúltima colocação do torneio. A equipe de Zagallo não vence há mais de um mês - ou seis partidas, desde a vitória sobre o Atlético-PR, em 29 de agosto - e, ainda que a diretoria negue, a permanência do treinador pode estar condicionada a um bom resultado hoje.

"Se quiserem, mandem um fax me avisando", desdenhou Zagallo, ao ser questionado sobre as pressões que setores da direção fazem ao do presidente Amílcar Casado para a sua demissão.

O zagueiro Émerson, um dos destaques da Lusa, ironizou a comparação.

"Eles têm crise porque estavam vencendo e deixaram de vencer, e nós, porque não vencemos há muito tempo. Então, nossa responsabilidade é muito maior. Com uma vitória, o Corinthians está no céu. Uma vitória ainda nos deixa numa situação ruim."

O técnico corintiano, Oswaldo de Oliveira, usa argumento semelhante para tentar transferir ao adversário a ansiedade pela vitória vivida por seus jogadores.

"É um clássico de risco. Mas para a Lusa, não para nós. Afinal, ainda somos líderes do Brasileiro. Enquanto um empate não deixa de ser um bom resultado para o Corinthians, para eles não aliviaria muito a atual situação."

Se vem mostrando um desempenho bem superior ao do rival no Brasileiro, o Corinthians, no último confronto entre os times, pelo Paulista-99, foi derrotado por 4 a 2 pela Lusa.

"Quando enfrentamos Vitória ou Juventude, as coisas não fluem bem, mas sempre jogamos bem contra o Corinthians. Espero que hoje a gente consiga o mesmo resultado do último jogo, e novamente com um gol meu", afirmou o meia Evandro.

Mas tanto Zagallo quanto a maioria dos jogadores estão desiludidos quanto às chances de classificação da Lusa.

"Ficou complicadíssimo para nós. Não tem como esconder, são números. Temos que nos preocupar agora em fazer uma boa pontuação para não nos complicarmos no próximo ano (o rebaixamento no Brasileiro considera a média dos dois últimos torneio)", alertou Émerson.

Para o zagueiro, atuar hoje no Canindé pode dificultar a situação da equipe. "Temos um aliado que vem sendo usado contra nós", disse, se referindo aos protestos da torcida no Canindé.

No Corinthians, que vive a mesma situação, o discurso de que a torcida estava causando descontrole aos atletas mudou. "A torcida vai ser o nosso 12º jogador", disse o técnico Oliveira.

LUSA

Adinam; Márcio Goiano, Fabrício, Émerson e Marcelo Santos; Pintado, Simão, Alexandre e Evandro; Aílton e Leandro. Técnico - Zagallo

CORINTHIANS

Dida; César Prates, Márcio Costa, Nenê e Kléber; Vampeta, Edu, Ricardinho e Marcelinho; Edílson e Luizão. Técnico - Oswaldo de Oliveira

Local - estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Horário - 15h
Juiz - Alfredo Santos Loebeling (SP)


Marcelinho volta a ser capitão

MAÉRCIO SANTAMARINA
Da Agência Folha – São Paulo

Quase um ano após ter sido destituído da liderança do Corinthians por indisciplina, o meia-atacante Marcelinho volta a ostentar a faixa de capitão, em substituição ao volante Rincón, suspenso, hoje, contra a Lusa.

O técnico Oswaldo de Oliveira tomou a decisão de devolver a faixa a Marcelinho durante o treino de ontem, no Parque São Jorge.

Enquanto o jogador atribuía o ato ao seu "espírito de líder", ao saber da notícia, o treinador disse que era meramente por uma questão de idade.

"Pelo tempo que tenho de Corinthians (cinco anos), sei da liderança que represento para o grupo. Fico muito feliz com a escolha", disse Marcelinho. "Na Arábia, o capitão é escolhido pela idade", explicou Oliveira, que passou por vários times do Oriente Médio entre 80 e 95.

Abaixo de Rincón, 33, Marcelinho é o mais velho do time. Ele fez 28 anos em fevereiro último. O atacante Edílson completou a mesma idade no mês passado.

Marcelinho havia sido destituído da liderança após discutir com o ex-técnico Wanderley Luxemburgo, em 24 de outubro do ano passado, na concentração de um jogo contra o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro.

Ficou treinando afastado por 15 dias. Quando voltou ao time, nas quartas-de-final, a faixa de capitão era do zagueiro Gamarra. Rincón a herdou quando Gamarra foi vendido ao Atlético de Madrid, após o último Paulista.


Elivélton desfalca o Inter

LÉO GERCHMANN
Da Agência Folha – Porto Alegre, RS

O Internacional, que não terá o ala Elivélton no jogo de hoje à tarde em Porto Alegre, contra o Santos, já começa a fazer cálculos resignado com a perspectiva de apenas ficar entre os 16 mais bem colocados no Campeonato Brasileiro, podendo disputar vaga para a Taça Libertadores do ano 2000.

Para chegar à classificação para as oitavas-de-final, a equipe gaúcha teria de conquistar 79,16% de aproveitamento. Ou seja, 19 pontos em 24 (oito jogos) a serem disputados. A meta, apesar de teoricamente ainda ser perseguida, é tida como improvável.

A definição dos pontos necessários para a disputa da "repescagem" que leva à Libertadores depende dos seus futuros resultados e também dos de outras equipes. Não há, portanto, uma meta numérica. Para evitar o rebaixamento, os dirigentes calculam que faltam cinco pontos.

O que mais preocupa a direção do clube, porém, é a baixa produção apresentada pela equipe, especialmente no setor ofensivo, com a ausência de oportunidades de gol.

INTER-RS

João Gabriel; Márcio, Lúcio e Régis; Enciso, Anderson, Dunga, Hurtado e Gustavo; Almir (Zezinho) e Celso. Técnico - Valmir Louruz

SANTOS

Zetti; Michel, Cláudio, Andrei e Gustavo; Claudiomiro, Elson, Marcos Basílio e Adiel; Paulo Rink e Dodô. Técnico - Paulo Autuori

Local - estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Horário - 15h

Juiz - Léo Feldman (RJ)


Santos precisa dos três pontos no Beira Rio

FAUSTO SIQUEIRA
Da Agência Folha – Santos, SP

O objetivo do Santos na partida de hoje à tarde contra o Internacional, em Porto Alegre, é repetir o desempenho alcançado no empate em 1 a 1 com o Palmeiras, na semana passada, em São Paulo.

A opinião unânime entre jogadores e comissão técnica é de que aquela foi a melhor atuação do Santos no Brasileiro. Depois do clássico, o time voltou a jogar mal, empatando em casa com o Coritiba (1 a 1) na última quarta-feira.

Por conta dessa avaliação, o técnico Paulo Autuori abdicou de escalar dois meias ofensivos e adotou para hoje a mesma formação e esquema tático utilizados contra o Palmeiras.

O time começará com três volantes de marcação (Claudiomiro, Elson e Marcos Basílio) e somente um meia (Adiel) para fazer a ligação com os atacantes Dodô e Paulo Rink. Fechada na defesa, a equipe deixará para o Inter a iniciativa do jogo, a fim de explorar os contra-ataques.

"Vamos fazer a mesma coisa que os outros fazem quando vêm jogar na Vila Belmiro. Eles se retrancam, jogam atrás, esperando pela chance de marcar em um contragolpe", disse o zagueiro Andrei.

Autuori afirmou que não gosta de armar assim as equipes que dirige, mas, segundo disse, abriu mão do seu ponto de vista porque atuando dessa maneira os jogadores se sentem mais confiantes.

"Jogaremos assim de acordo com a circunstância de cada partida, tomando como referência o jogo com o Palmeiras. Hoje, é desse jeito que os jogadores têm mais tranquilidade para atuar", afirmou Autuori.

Embora defensivo, esse sistema de jogo apresenta vantagens, segundo o treinador. A presença de três volantes congestiona o meio-campo, dificultando as ações ofensivas do adversário, "solta" o meia Adiel e libera os atacantes Dodô e Paulo Rink.

"O time fica mais fortalecido na defesa e dá mais liberdade para o pessoal da frente se movimentar, sem tanta preocupação de marcar", disse o volante Claudiomiro.

Outra arma do Santos serão os chutes de longa distância do atacante Dodô. Contra o Palmeiras, ele acertou duas vezes a trave em arremates longos e, diante do Coritiba, marcou o gol santista ao bater da intermediária e colocar a bola no ângulo do goleiro adversário.

"O treinador pede sempre para a gente arriscar e chutar bastante de fora da área", disse o atacante.

"Um problema do futebol brasileiro é querer fazer gol entrando com bola e tudo. É preciso bater de meia distância sem medo de errar", afirmou Autuori, que nos treinos obriga atacantes e meio-campistas a ensaiar repetidas vezes os chutes de fora da área.

Em 13º lugar com 17 pontos, o Santos tem como meta a partir de hoje acumular sete pontos frente aos três adversários que enfrentará em sequência fora de casa - Inter, Atlético-MG e Ponte Preta.

"Não perder nesses três jogos é fundamental. O campeonato está se afunilando, e nós não podemos mais deixar as vitórias para depois", declarou o atacante Paulo Rink.


Reginaldo desfalca Atlético-PR

JOSÉ MASCHIO
Da Agência Folha – Londrina, PR

O zagueiro Reginaldo é o desfalque do Atlético-PR para enfrenta o Guarani, hoje, às 15h, em Campinas (SP). Reginaldo machucou-se durante o treino de quinta-feira e será substituído por Gustavo.

Além de não poder contar com o experiente jogador, o técnico Osvaldo Alvarez embarcou ontem para Campinas com duas outras dúvidas para o jogo. Luizinho Neto, que tem jogado bem, pode ganhar de vez a posição de Vanin na lateral esquerda.

A outra dúvida é no ataque, com o ex-titular Lucas disputando vaga com Kelly. Jogando fora de casa e admitindo que um empate será um bom resultado, Alvarez pode optar por Kelly, o que reforçaria a marcação do time paranaense.

Melhor equipe do Paraná neste Campeonato Brasileiro, o Atlético soma 21 pontos e uma vitória em Campinas, contra um concorrente direto (Guarani 22 pontos), pode aumentar as chances de o time estar entre os oito classificados para a segunda fase da competição.

Mesmo com o time indo bem em campo, a diretoria atleticana tem sido alvo de críticas de sócios e torcedores que compraram pacotes de ingressos para este Brasileiro.

Eles reclamam que o clube não está cumprindo a promessa de entregar ingressos comprados em pacotes pelos torcedores.

A direção do clube não se manifestou hoje a respeito das reclamações. Os pacotes foram vendidos na época da inauguração da Arena da Baixada, há três meses.

Guarani

O Guarani tentar hoje, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas a sua quarta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro. No entanto, o técnico Carlos Alberto Silva vai encontrar dificuldade para montar a equipe. Três titulares se contundiram durante os treinos da semana. São eles o lateral-direito Rafael, o lateral-esquerdo Rubens Cardoso e o atacante Marcinho

GUARANI

Gléguer; Rafael (Jefferson), Marcelo Souza, Marinho, Edu Dracena e Rubens Cardoso (Luciano Baiano); Renatinho, Silvinho e Everaldo (Luiz Fernando); Mauro e Marcinho (Rodrigo Jaú ou Gilson Batata). Técnico - Carlos Alberto Silva

ATLÉTICO-PR

Flávio; Alberto, Gustavo, Leonardo e Vanin (Luizinho Netto); Cocito, Fabiano, Adriano e Sandoval; Kelly (Lucas) e Kléber. Técnico - Osvaldo Alvarez (Vadão)

Local - estádio Brinco de Ouro, em Campinas

Horário - 15h

Juiz - Antônio Pereira da Silva (GO)